PLANTÃO

Economia

MEI poderá parcelar débitos a partir do dia 3 de julho

Os Microempreendedores Individuais (MEI) que possuem boletos mensais em aberto, até maio deste ano, poderão parcelar os débitos em até 120 meses a partir do próximo dia 3 de julho. Essa é a primeira vez que esse segmento empresarial poderá pagar os impostos devidos em parcelas. Cada prestação deve ter valor mínimo de R$ 50. O prazo para aderir ao programa de renegociação das dívidas é de 90 dias. De

Serviço ‘e-Sedex’ deixará de ser prestado por Correios a partir desta segunda

O serviço de e-Sedex, prestado pelos Correios, vai acabar nesta segunda-feira (19). A decisão foi anunciada na última quarta-feira (15). De acordo com os Correios o serviço, que é exclusivo para comércio eletrônico e opera com prazos de entrega expresso, seria cancelado no inicio do ano. A decisão, no entanto, foi embargada por uma liminar obtida pela Associação Brasileira de Franquias Postais (Abrapost), que foi revogada nesta semana. Como o

Brasil propõe novo sistema de avaliação para educação básica no Mercosul

O ministro da Educação, Mendonça Filho, sugeriu nesta sexta-feira (16) que os países do Mercosul se espelhem nos métodos brasileiros para unificar seus sistemas para avaliar a qualidade dos indicadores da educação básica. A proposta foi feita durante o encontro de ministros da educação do bloco, realizado em Buenos Aires. Aos pares, Mendonça Filho defendeu os critérios de avaliação desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), ligado

População brasileira já pagou R$ 1 trilhão em impostos este ano

A marca de R$ 1 trilhão no painel do Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) foi registrada às 8h desta sexta-feira (16). O valor equivale ao total de impostos, taxas e contribuições pagos pela população brasileira desde o dia 1º de janeiro de 2017. Em 2016, o montante de R$ 1 trilhão foi alcançado em 5 de julho. O presidente da entidade, Alencar Burti, explica que a arrecadação

Inflação medida pelo IGP-10 cai em junho pela terceira vez seguida

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) registrou deflação (queda de preços) de 0,62% neste mês de junho. Essa é a terceira taxa de deflação mensal consecutiva registrada pelo indicador, que teve quedas de preços de 0,76% em abril e de 1,10% em maio. O índice, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), acumula deflação de 1,43% no ano e inflação de 0,08% em 12 meses. Dois dos três subíndices

FGTS: Caixa também abrirá mais cedo na segunda, terça e quarta-feira

As unidades da Caixa abrirão duas horas mais cedo na segunda (12), terça (13) e quarta-feira (14) na maior parte do país para que pessoas possam fazer o saque de contas inativas do FGTS – no sábado (11), as agências também abriram para este mesmo fim. Na maioria das agências, que abriria às 11h, o atendimento foi antecipado para 9h. Para as agências que já abrem rotineiramente às 9h, o

Novas regras para rotativo diminuem juros do cartão de crédito, mostra pesquisa

As novas regras para o rotativo do cartão, que começaram a valer no início de abril, estão causando um efeito de queda dos juros da modalidade de crédito, que têm as taxas mais caras do mercado. É o que aponta pesquisa divulgada pela Associação Nacional de Executivos de Finanças (Anefac). Os juros do cartão recuaram de 14,31% em abril para 13,25% em maio, segundo o estudo. A Anefac realiza todo

Projeto do vereador GIL GOMES (PV), disciplina sobre incentivos para doação de sangue no município de Ilhéus

O vereador ilheense GIL GOMES (PDT), já considerado como um dos mais atuantes do legislativo local, protocolou na última 4ª feira, 07/06, projeto de lei que visa instituir incentivos para a doação voluntária de sangue de forma a aumentar o número de doadores e assim superar a carência deste sangue arterial, fundamental aos serviços de saúde no município. A doação de sangue é uma atitude importante para auxiliar no tratamento

Pequenas empresas parcelaram mais de R$ 20 bilhões de dívidas tributárias

Mais de 342 mil empresas optantes pelo Simples Nacional regularizaram seus débitos tributários com a Receita Federal e parcelaram cerca de R$ 20 bilhões aos cofres da União. O resultado da parceria entre a Receita e o Sebrae, que culminou em mutirão de regularização, permitiu que as micro e pequenas empresas permanecessem no regime especial, informou o Fisco. A Lei complementar nº 155/2016 permitiu o parcelamento especial em 120 meses