Hoje, ao chegar no ponto da pescaria em frente ao Parque de Exposição, encontrei uma tartaruga medindo aproximadamente um metro e vinte de comprimento e 95 centímetros de largura. Infelizmente já estava sem vida com uma corda de rede de pesca presa pela cabeça e nadadeira.
Fiz contato com a Polícia Ambiental e fiquei sabendo que a instituição não realiza mais o procedimento de encaminhar espécies marinhas mortas para à UESC. Falei com o Coordenador do CCZ e fui orientado em enterrar o animal.
Enterrei a tartaruga com uma dor no coração ao ver uma linda espécie, que por diversos anos fez sua trajetória ao seu lugar de origem, morta por uma irresponsabilidade e falta de consciência ambiental
Pena!